A Praça do Palmarejo e a Ordem dos Arquitectos

A corrupção já tomou conta da sociedade cabo-verdiana” – Germano Almeida

Estava marcado para a quinta-feira, 20 de Setembro, o julgamento do embargo de obra nova que a CMP quer à força fazer na Praça do Palmarejo, interposto pelo Partido Popular (PP). No entanto, em cima da hora foi adiado por mais uma semana, estando agora para acontecer no dia 27. Continuar a ler “A Praça do Palmarejo e a Ordem dos Arquitectos”

O estado da Nação e a Praça do Palmarejo – I

A corrupção já tomou conta da sociedade cabo-verdiana” – Germano Almeida

Como frisei no documento “O estado da Nação”, já publicado por este jornal e que se encontra arquivado no meu blog, em https://nanindipala.net, o nosso país precisa, com muita urgência, de quatro reformas, sem as quais caminhará rapidamente para o seu fim, enquanto sonho e projecto de Amílcar Cabral quando iniciou a luta pela libertação nacional. Continuar a ler “O estado da Nação e a Praça do Palmarejo – I”

Praça do Palmarejo – II

Sendo certo que é possível que os deputados do MpD na AN não se tenham dado conta de que através da Autorização Legislativa (AL) de Fevereiro, ao viabilizarem o loteamento irresponsável do território, por um lado, e ao alijarem o Governo das suas responsabilidades na aprovação dos PDs, por outro, acabaram por “legalizar” todo o processo que descambou na actual situação da Praça do Palmarejo já vedada para uma obra ilegal, o facto é que essa AL é muito mais estranha por ter sido decretada por esse partido. Continuar a ler “Praça do Palmarejo – II”

Praça do Palmarejo – I

Começou a vedação da Praça do Palmarejo.
Apesar da feroz oposição dos moradores deste bairro, o Presidente da CMP não arrepiou caminho.
Eu tenho acompanhado toda esta movimentação e, pese embora a grande simpatia que sinto pelos cidadãos que se opõem ao fim da Praça tal como está definida no Plano de Desenvolvimento Urbanístico (PDU) do bairro, temo que seja extremamente difícil impedir o fim dessa praça. Continuar a ler “Praça do Palmarejo – I”

O estado da Nação

Durante todo o mês de Abril de 2015 os cabo-verdianos assistiram, em transe, o país à mercê de um punhado de jovens.
Se os jovens do MAC-114 tivessem maior traquejo político ou, no mínimo, uma estrutura clara de liderança, uma revolução de consequências inimagináveis teria mesmo acontecido. Infelizmente (ou será felizmente?), assim que o foco da imprensa e da opinião pública começou a incidir mais sobre um deles, os outros imediatamente disseram que a liderança era colegial e que eram todos primus inter pares. Ficou assim selada a sorte do MAC-114. Continuar a ler “O estado da Nação”

Hurricane Season – I

A revista Nature publicou, há 4 dias, o mais exaustivo relatório, até hoje, sobre a fusão da camada de gelo da Antártida, que está a derreter a um ritmo cada vez maior, derramando agora, por ano, mais de 200 biliões de toneladas de gelo no oceano, fazendo aumentar o nível da água do mar em cerca de meio milímetro cada ano, segundo esse relatório subscrito por uma equipa de 80 cientistas. Continuar a ler “Hurricane Season – I”

Reacção do Presidente da CMP à Petição Pública

Ao atribuir em concessão, de maneira obscura, o Ilhéu de Santa Maria por 105 anos (75+30 de opção), em troca de 1000 empregos veniais e uns trocados para embelezar a Gamboa, o presidente da Câmara Municipal da Praia, Dr. José Ulisses Correia e Silva demostrou o quão despreparado está para governar Cabo Verde.

Já em 2006 eu avisava: Os lucros da indústria do jogo são FABULOSOS, e as contrapartidas devem ser negociadas para A PERIFERIA da Cidade, nunca para o investidor embelezar o seu próprio investimento: Parece-me óbvio que nenhum investidor irá investir no Djeu com a Gamboa no estado em que está. Ele próprio, impulsivamente, tratará de melhorar a orla marítima, para o bem do seu investimento.

Ter dirigentes incapazes de ver (e saber) uma coisa tão óbvia e que se apressam em incluir o tratamento da orla marítima da Gamboa no pacote das contrapartidas, era só o que nos faltava!

É por esta e por outras que o Presidente da CMP tem que abrir o dossier das negociações a todos os caboverdeanos, sem mais delongas!