O seu a seu dono

A corrupção já tomou conta da sociedade cabo-verdiana” – Germano Almeida

Como disse no último documento, o Acórdão que diferiu o embargo da obra nova na Praça do Palmarejo é histórico. E vai, seguramente, marcar a gestão futura do nosso território de maneira até hoje inimaginável. Continuar a ler “O seu a seu dono”

Uma lufada de ar fresco e de esperança

A corrupção já tomou conta da sociedade cabo-verdiana” – Germano Almeida

Após uma espera angustiante para muitos cidadãos deste país, eis que finalmente saiu, no passado dia 23 de Novembro, o Acórdão da lavra do Meritíssimo Juiz (substituto) do 4º Juízo do Tribunal da Comarca da Praia, a reconhecer a necessidade de se parar com a consumação do assalto à Praça do Palmarejo, diferindo a acção de embargo de obra nova interposta por um grupo de cidadãos moradores do Palmarejo que, com muita galhardia, aceitaram colaborar com o Partido Popular (PP) na contestação judicial desse assalto. Continuar a ler “Uma lufada de ar fresco e de esperança”

Carta Aberta a Sua Excelência o Sr. Presidente da República

Estando ainda todo o país à espera da decisão judicial relativa ao embargo de obra nova na Praça do Palmarejo interposto pelo Partido Popular, endereço-lhe, mui respeitosamente, Exmo. Sr. Presidente da República, este documento, deixando claro que sufraguei com o meu voto a sua primeira eleição em 2011, ciente de que a alternativa na altura era extremamente contraproducente e danosa dos supremos interesses do país. Continuar a ler “Carta Aberta a Sua Excelência o Sr. Presidente da República”

A Praça do Palmarejo e a Ordem dos Arquitectos

A corrupção já tomou conta da sociedade cabo-verdiana” – Germano Almeida

Estava marcado para a quinta-feira, 20 de Setembro, o julgamento do embargo de obra nova que a CMP quer à força fazer na Praça do Palmarejo, interposto pelo Partido Popular (PP). No entanto, em cima da hora foi adiado por mais uma semana, estando agora para acontecer no dia 27. Continuar a ler “A Praça do Palmarejo e a Ordem dos Arquitectos”

O estado da Nação e a Praça do Palmarejo – I

A corrupção já tomou conta da sociedade cabo-verdiana” – Germano Almeida

Como frisei no documento “O estado da Nação”, já publicado por este jornal e que se encontra arquivado no meu blog, em https://nanindipala.net, o nosso país precisa, com muita urgência, de quatro reformas, sem as quais caminhará rapidamente para o seu fim, enquanto sonho e projecto de Amílcar Cabral quando iniciou a luta pela libertação nacional. Continuar a ler “O estado da Nação e a Praça do Palmarejo – I”

Praça do Palmarejo – II

Sendo certo que é possível que os deputados do MpD na AN não se tenham dado conta de que através da Autorização Legislativa (AL) de Fevereiro, ao viabilizarem o loteamento irresponsável do território, por um lado, e ao alijarem o Governo das suas responsabilidades na aprovação dos PDs, por outro, acabaram por “legalizar” todo o processo que descambou na actual situação da Praça do Palmarejo já vedada para uma obra ilegal, o facto é que essa AL é muito mais estranha por ter sido decretada por esse partido. Continuar a ler “Praça do Palmarejo – II”

Praça do Palmarejo – I

Começou a vedação da Praça do Palmarejo.
Apesar da feroz oposição dos moradores deste bairro, o Presidente da CMP não arrepiou caminho.
Eu tenho acompanhado toda esta movimentação e, pese embora a grande simpatia que sinto pelos cidadãos que se opõem ao fim da Praça tal como está definida no Plano de Desenvolvimento Urbanístico (PDU) do bairro, temo que seja extremamente difícil impedir o fim dessa praça. Continuar a ler “Praça do Palmarejo – I”

O estado da Nação

Durante todo o mês de Abril de 2015 os cabo-verdianos assistiram, em transe, o país à mercê de um punhado de jovens.
Se os jovens do MAC-114 tivessem maior traquejo político ou, no mínimo, uma estrutura clara de liderança, uma revolução de consequências inimagináveis teria mesmo acontecido. Infelizmente (ou será felizmente?), assim que o foco da imprensa e da opinião pública começou a incidir mais sobre um deles, os outros imediatamente disseram que a liderança era colegial e que eram todos primus inter pares. Ficou assim selada a sorte do MAC-114. Continuar a ler “O estado da Nação”